quinta-feira, 26 de maio de 2011

PROSTRAÇÃO

"Se você foi abandonado à beira do caminho por duas vezes por alguém, é provável que tenha se tornado um fardo muito pesado. Há duas atitudes a serem tomadas; ou você levanta e caminha com as próprias pernas para descobrir o que existe além do horizonte, ou se prostra à beira do caminho e fica fazendo parte da mesma paisagem todos os dias. Lembre-se que as corredeiras possuem águas turbulentas, porém renovadas a cada instante; já a curva do rio inspira paz e tranqüilidade, mas na prática só serve mesmo para ajuntar insetos e tranqueiras." (Ari Pinheiro - do livro NO JARDIM DAS ELICÔNIAS)

quinta-feira, 12 de maio de 2011

OS VENDILHÕES DO TEMPLO



Estamos vivendo um tempo em que o mundo vive um paradigma muito grande; enquanto avança freneticamente no campo científico e tecnológico, bestializa-se cada vez mais, com ações que jamais seriam perpetradas por animais irracionais, por exemplo. Na seara do cristianismo isso também acontece, em escala menor, mas acontece. Os homens se munem de conhecimento teológico, inventam dogmas e regras, segundo suas próprias conveniências, numa tentativa de amealhar fiéis a todo o custo, como quem entra numa campanha de marketing para conseguir clientes para as lojas de um novo shopping.
Toda semana Cristo é leiloado em altares ao redor do mundo, sempre a um preço módico e “ao alcance de todos”. São “campanhas” e pseudo-avivamentos, com pregadores que mais parecem camelôs do que embaixadores de Jesus, sempre dizendo que se você quer a bênção, tem que “pagar o preço”. Meu irmão, não entre nessa canoa furada. Fazer a Obra de Deus não tem nada a ver com o vil metal, tem a ver sim, com mandamentos. “Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas. Vós sois amaldiçoados com a maldição; porque a mim me roubais, sim, vós, esta nação toda. Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança. Também por amor de vós reprovarei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; nem a vossa vide no campo lançará o seu fruto antes do tempo, diz o Senhor dos exércitos.” (Malaquias, 3, 8-10)
O preço pela tua salvação Jesus já pagou no Calvário. A única premissa para você ser abençoado é que seja fiel a Deus, que não o roube nos dízimos e ofertas alçadas, e cumpra seus mandamentos. Não existe tabela para cura divina, para prosperidade, para uma “casinha” ou um “castelo” no céu. Os vendilhões estão vindo aí, querem te colocar numa cruz, querem te julgar, e se não pagares, vão te condenar aqui mesmo, antes do juízo final. São raposas tentando cuidar de vindimas, são lobos brincando de pastores, prontos para devorar o próprio rebanho.O preço que Jesus te pede, em sua palavra é a fidelidade e a humildade, condições precípuas para a salvação. “Apascentai o rebanho de Deus, que está entre vós, não por força, mas espontaneamente segundo a vontade de Deus; nem por torpe ganância, mas de boa vontade; nem como dominadores sobre os que vos foram confiados, mas servindo de exemplo ao rebanho. E, quando se manifestar o sumo Pastor, recebereis a imarcescível coroa da glória. Semelhantemente vós, os mais moços, sede sujeitos aos mais velhos. E cingi-vos todos de humildade uns para com os outros, porque Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes. (Pedro 5, 2-5)
A partir do momento que você aceitou o Homem de Nazaré, como seu único e legítimo salvador, e segue seus ensinamentos, não há mais quem te condene, não há mais quem te crucifique, não há mais quem possa te derrubar, pois a tua fé está alicerçada no dono da bênção, N’aquele que venceu a morte, arrebatou as chaves do inferno, ressuscitou e está investido de todo o poder, sentado à destra do Pai.
E os vendilhões? Ah! Para estes, que fazem de Jesus uma ferramenta de vendas, uma ponte para alcançar seus sonhos de riqueza e poder, que condenam a vaidade nos outros, mas que são verdadeiros pavões, ostentando números de fiéis para justificar o injustificável, para estes está reservado o Lago de Fogo, que está sendo preparado para o diabo e seus anjos. “...e o Diabo, que os enganava, foi lançado no lago de fogo e enxofre, onde estão a besta e o falso profeta; e de dia e de noite serão atormentados pelos séculos dos séculos.” (Apocalipse 20,10) (Pr. Ari Pinheiro)

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Pode alguém sem fé, ou de pouca fé, alcançar a graça e a misericórdia de Deus?

Pode alguém sem fé, ou de pouca fé, alcançar a graça e a misericórdia de Deus?
Pr Ari Pinheiro

Bem, em Hebreus 11.6 está escrito: Sem fé é impossível agradar a Deus; todavia aqui há um porém, na verdade a maioria das pessoas têm fé, só que as vezes não é uma fé madura, uma fé racional. Muitas pessoas possuem uma fé emocional e assim, ela sofre altos e baixos, e a vida desta pessoa segue a sua forma de fé.
   A bíblia relata também que a fé de outras pessoas é capaz de fazer com que a graça alcance uma terceira. Isso fica muito claro quando quatro amigos resolveram ajudar um homem que era paralítico a chegar na presença do Mestre(Mateus 9:1-8), todavia a residência onde Jesus ensinava estava repleta e não havia meios de entrar pelas portas ou janelas com a cama daquele homem doente. Em nossos dias isso bastaria para que a maioria das pessoas visse isso como “um sinal” de que ele deveria continuar paralítico para sempre, já que a cura estava a poucos passos, mas as circunstâncias dificultavam o acesso. Não foi isso que aconteceu há mais de dois mil anos. Os amigos do paralítico foram além das circunstâncias, ignoraram as dificuldades e abriram um buraco no telhado da casa, introduziram assim o homem na presença de Jesus. Notem que o texto bíblico não fala que o paralítico não tinha fé; mas o ponto forte da mensagem é que Jesus viu a fé dos quatro homens, ou seja, valorizou a iniciativa dos mesmos em driblar as dificuldades e encontrar uma alternativa ao percalço que hora se apresentava. Jesus se agrada dos empreendedores, daqueles que vão além das circunstâncias para levar uma alma carente de salvação até sua presença. Eles sabiam que o amigo necessitava de um milagre, sabiam onde havia alguém que fazia milagres; logo, faltava apenas a ação de juntar os dois pontos para que o nome de Deus fosse glorificado.
   Mesmo nesta atmosfera de perdoar pecados e fazer milagres apareceram os murmuradores. Veja no texto que os escribas censuraram Jesus por sua ação de misericórdia; logo, mesmo que você seja uma pessoa de muita fé, não estará livre de murmurações e outros empecilhos para dificultar suas ações. Não ligue, suba no telhado, retire as telhas e faça sua parte, o resto é com Deus.
   Ter pouca fé também não é empecilho para Deus agir. Numa passagem interessante das escrituras (Mateus 14:22-27) os discípulos se encontravam em desespero, pois o barco em que estavam foi colhido por uma tempestade violenta e todos temiam o naufrágio iminente. Jesus vinha ter com eles sobre as águas, mas todos cuidavam de estar vendo um fantasma e ficaram mais apavorados ainda. Não é diferente em nossos dias. As ondas de luta se levantam, os ventos nos sacodem violentamente e tudo ao redor parece fantasmagórico; até mesmo o agir de Deus nos parece algo improvável em meio a tempestade.
   Pedro tinha uma fé muito forte, mas era uma fé emocional, de momentos. Enquanto todos temiam e tremiam, ele se adiantou e bradou: “Mestre, se és tu, faze com que eu vá até aí caminhando sobre as águas...” Jesus assentiu e Pedro desceu do barco, literalmente caminhou sobre as águas, mas a fé emocional o traiu, mostrando para ele o tamanho das ondas. O emocional aumentou a tempestade e diminuiu Jesus na mente de Pedro. Ele começou a afundar, mas foi socorrido a tempo. “Homem de pouca fé, porque duvidaste?”  Aqui ainda cabe uma reflexão, todos falam da pouca fé de Pedro, mas ninguém comenta sobre os outros que sequer saíram do barco, sequer dirigiram a palavra para o que acreditavam ser um fantasma. Pessoas para zombar de tua (pouca) fé nunca vão faltar, mas é própria bíblia quem responde mais esta questão: “Se tiveres fé do tamanho de um grão de mostarda...(Lucas 17:6)” Nesta segunda-feira, quando fui impelido pelo Espírito Santo a escrever sobre este tema, eu não sabia que era você quem leria esta mensagem, mas a minha fé me dizia que alguém leria e seria edificado por ela. Então sentei em frente ao computador e deixei que Deus usasse minha mente e meus dedos. Não sei qual a tua situação, se de ausência de fé, se de pouca fé, ou de uma fé madura e racional; mas uma coisa eu sei, se Deus te guiou para este blog para ler esta mensagem, algo Ele quer falar ao teu coração. Fecha teus olhos e sente Ele caminhando sobre as águas, vindo ao teu encontro. Não é um fantasma, é simplesmente a solução para o teu problema! Não duvides, crê somente, pois segundo o Eclesiaste “Há um tempo para tudo na vida..”(Eclesiaste 3:1-8)

Este pode ser o teu tempo de ser feliz, pense nisso! Deus te abençoe desde hoje e para todo o sempre, amém!

sexta-feira, 6 de maio de 2011

terça-feira, 3 de maio de 2011

Gideões Missionários: Pastor Cesino Bernadino é indicado ao Nobel da Paz


Durante as pregações do 29º Congresso Internacional de Missões dos Gideões Missionários da Última Hora foi anunciado uma grande honraria para o Pastor líder e fundador do evento, Cesino Bernardino.
O Pastor foi indicado ao Prêmio Nobel da Paz devido a sua luta “pela causa da família cristã”, como afirmou um dos Pastores participantes do Congresso. Cesino é o primeiro catarinense a ser indicado ao famoso galardão que já premiou Barack Obama, Nelson Mandela, Tenzin Gyatso (Dalai Lama), Madre Teresa de Calcutá, entre outros. Outro famoso líder evangélico brasileiro que já foi indicado ao Prêmio foi o Pastor Manuel Ferreira, da Igreja Assembléia de Deus de Madureira.
Durante o anúncio no evento, foi feita uma pequena solenidade para a entrega da placa representativa “Diploma de indicação ao Prêmio Nobel da Paz 2010/2011 como apóstolo social”. Entre os feitos que fizeram jus a indicação do Pastor, é citado a reconstrução do Haiti.
Emocionado, o Pastor João Pedro comentou: “Em tenho certeza que nos céus os anjos fazem coro e tocam trombetas em honra e glória porque agrada a Deus o que esse homem faz”.

segunda-feira, 2 de maio de 2011