segunda-feira, 18 de outubro de 2010

DAS REFLEXÕES DE UMA PAIXÃO – Ari Pinheiro



Há muitas luas que eu te amo...
Há muitas luas que venho te observando de longe,
De perto, ao redor de ti...


Malgrado os dias em que acordas
De mau humor e sequer lembras
Que eu existo, sigo fiel e insisto
No meu amor incondicional
De muitas luas, tantas luas...


Sabes... teve um dia
Quando ainda eras semente pequenina
No ventre de tua mãe e ela cogitou
A idéia de não nasceres...
Lembro que sofri, chorei de dor,
Pois desde lá eu já te amava,
Te queria e te desejava
Com uma paixão que só os anjos conhecem...


Há muitas luas que eu te amo
E te dedico o melhor de mim...
Quantas vezes velei teu sono
E quando tinhas sonhos ruins
Procurava te presentear
Com um amanhecer dourado
Que muitas vezes nem vias...


Houve um dia em que caíste
Ralaste o joelho... lembro que senti
A mesma dor que tu... Noutro tempo
Tiveste a primeira desilusão de amor, e eu,
Que sofro isso todos os dias;
Chorei todas as tuas lágrimas
E me escondi contigo quando fostes
Soluçar a sós no quintal...


E hoje, quando olhas para cima
E perguntas aos céus se eu existo
Posso te responder com a mesma serenidade
De quem sempre esteve o teu lado...


Há muitas luas que eu te amo;
Há muitas luas que eu te quero;
Há muitas luas que ressuscitei por ti...
Sou Jesus Cristo, filho de Deus
E há muitas luas que te esperava...


Porque eu te amo incondicionalmente,
Há muitas luas, há muitas luas!!!

Nenhum comentário: