domingo, 27 de junho de 2010

ESTOU MUDANDO, ESTOU MUDADO!

RADICALIZEI PORQUE QUERO SUBIR - Leia até o final, por favor; inclusive o poema!

Durante algum tempo fui um cristão equivocado. Fiz muitas concessões ao inimigo durante minha jornada, fui esnobe e soberbo por muitas vezes, achando-me o dono da verdade. Achava que isto e aquilo não fazia mal, que podia ser um cristão "mente aberta" e assim conquistar mais almas para Cristo. Eu estava errado, ganhei muitos membros para muitas igrejas, com certeza; mas não sei quantos eu realmente enderecei aos apriscos do Senhor.
Perdi pessoas que eu amava, perdi coisas que eu amava, e só não perdi a salvação porque Jesus em sua infinita misericórdia me estendeu a sua mão, num gesto maravilhoso de amor que só encontramos Nele.
Esta semana tive um encontro com Deus na madrugada, e ele me mostrou onde eu havia errado, ponto por ponto, colocou azeite em cada ferida e me disse que antes que a humanidade se dê conta seu filho romperá as nuvens com poder e glória para buscar um povo santo, zeloso e de boas obras.
Só então me dei conta da importância desta afirmativa que eu mesmo fiz centenas de vezes em minhas pregações, e que funcionava bem como retórica, mas já havia virado lugar comum para a maioria dos ouvintes.

Estou mudando, estou mudado. Nada mais que não seja para louvar o nome de Deus há de invadir minha mente, meus olhos ou meus ouvidos. Preciso recuperar o tempo perdido, preciso colocar minha casa em ordem porque assim como foi predita a morte de Ezequias, assim está prestes a vinda do Mestre. O profeta ainda não saiu do pátio, mas Deus já ouviu o meu clamor, não sei se o profeta voltará com outra notícia, mas estou pronto para a missão. Quero que minha vida e minhas atitudes louvem o nome de Deus, cantem sua glória e sua majestade, e que não as minhas palavras, mas o meu testemunho sirva para conduzir almas à Deus e não simplesmente aos salões das igrejas! Amém, ora vem Senhor Jesus!!!




BUSCA - Ari Pinheiro


Busquei-te tanto, tanto
Até na luz do amanhecer
Mas a nuvem outonal
Fez o brilho esmaecer
Procurei-te nas cascatas
Que as represas sepultaram
Busquei-te nas chuvas de abril
Que os sóis de maio levaram...


Fui te procurar nos campos
Por restingas e capões
Busquei-te nas casas grandes
Nas prosas junto aos fogões
Não estavas nas varandas
Não estavas nas soleiras
Não estavas no riacho
Que fica além da porteira...


Busquei-te nas bibliotecas
Nos livros de letras frias
E descobri que não vives
Entre palavras vazias
Libertei-me das paredes
Calcei asas sobranceiras
Fui te buscar nas alturas
No cume das cordilheiras






Mas não estavas no monte
De florestas boreais
E nem sequer entre a fauna
Que habita os pinheirais
Não estavas nos abismos
Dos mares eras ausente
Não te achei em toda a terra
Apesar de onipresente!


Ao regressar da jornada
Mergulhado em frustração
Fui meditar em silêncio
Na sala do coração
Foi ali que descobri
Que a busca chegara ao fim
Pois Deus que eu buscava fora
Morava dentro de mim!!!

sexta-feira, 25 de junho de 2010

CLASSIFICADOS NA ESTÂNCIA DA POESIA


Resultado do Concurso de Poesias organizado pela Estância da Poesia Crioula em comemoração ao 54º Rodeio de Poetas Crioulos do Rio Grande do Sul.




As modalidades do Concurso eram “Exaltando o Rio Grande” e “Rio Grande Lírico”. A responsabilidade da avaliação esteve ao cargo dos poetas Luiz Alberto Ibarra, Sidnei Azambuja e Cândido Brasil. As poesias classificadas em quarto e quinto lugares de cada modalidade serão agraciadas com um belo diploma de honra ao mérito. Os primeiros, segundos e terceiros lugares serão premiados com o Troféu Lanceiro Negro, concebido pelo artesão gaúcho Hidalgo Afonso Adams.





Modalidade “Exaltando o Rio Grande”


1º Lugar: Quando Um Gaúcho Canta o Campo – de Ari Pinheiro, Florianópolis, SC.


2º Lugar: Retrato Fiel de Um Gaúcho – de Jurema Chaves, São Leopoldo, RS.


3º Lugar: Alma Fronteiriça – de Agenor de Mello Coelho, São Lourenço do Sul, RS.


4º Lugar: Ausência – de Rodrigo Canani Medeiros, Porto Alegre, RS.


5º Lugar: Tropeiro – de Ruth Ferreira Manique, São Francisco de Paula, RS.


Modalidade “Rio Grande Lírico”


1º Lugar: Para Todo o Sempre – de Jurema Chaves, São Leopoldo, RS.


2º Lugar: Na Taça do Teu Umbigo – de Ari Pinheiro, Florianópolis, SC.


3º Lugar: Tapera – de Ruth Manique, São Francisco de Paula, RS.


4º Lugar: Entre o Amor e a Cruz – de Áurea Rosângela da Rosa, Farroupilha, RS.


5º Lugar: Ode ás Mães – de Maria Beck, Porto Alegre, RS.