sexta-feira, 21 de maio de 2010

A IGREJA QUE TEMOS E A IGREJA QUE QUEREMOS

Hoje temos uma igreja centrada em administrar o imenso patrimônio amealhado ao longo dos últimos cem anos. É uma herança de prédios em todos os município do Brasil, senão em todos, na grande maioria. Quando falo igreja, falo na Igreja de Cristo, que vai bem além das denominações que proliferam por aí. Falo dos membros que congregam em cada uma destas denominações.

Cada uma delas requer para si o direito de ser a “igreja verdadeira”, a que tem os melhores costumes, a melhor doutrina, os melhores cantores, os maiores pregadores e etc; quando sabemos que a igreja verdadeira é aquela que está dentro de nossos corações, nosso templo particular, catedral própria de adoração à Deus, morada do Espírito Santo.


A igreja que temos hoje é especialista em mega eventos para crentes, sabe tudo de evangelizar os já evangelizados, aplica grandes somas para trazer pregadores em nome de um avivamento que devia arder no peito de cada um de nós e não no fervor da pregação deste ou daquele. Senão vejamos: Congresso da Juventude. Para quem? Jovens Cristãos! Aniversário da Congregação. Para quem? Para os congregados e demais congregações convidadas! Aniversário do Círculo de Oração. Para quem? Para o Círculo de Oração aniversariante e demais círculos convidados! Aniversário do Coral. Para quem? Igrejas e demais corais convidados!

A igreja que temos gasta, em nível de Brasil, apenas 5% para sustentar a obra missionária, menos de 10% nas obras sociais, e o resto é para construção e manutenção de templos e da máquina administrativa. A igreja que temos hoje gasta mais tempo atirando pedra nas co-irmãs do que combatendo contra o mal, gasta mais tempo em contendas e políticas internas do que no campo evangelístico, tendo mais o hábito da avestruz (enterrar a cabeça no buraco) do que o olhar de águia, que vê as coisas do alto e tudo decifra pelo poder do Espírito.

A igreja que queremos é aquela que ministra o louvor, e não se conforma com os preciosismos e shows de nossos “artistas”, mais preocupados com a imagem na mídia do que com a consagração à Deus, diante do enorme ministério que receberam. Entre cantar e ministrar o louvor na casa do Pai existe uma diferença maior do que sonha nossa vã filosofia! Mas quem é que ensina isso nos altares?

A igreja que queremos é aquela onde os diáconos saibam que cabe a eles descobrir quantos necessitados existem em nossa paróquia, organizar campanhas e prover o sustento das viúvas e órfãos. Alguém já disse ao corpo diaconal que a função dele não é meramente ajudar a servir Santa Ceia uma vez no mês?

A igreja que queremos é aquela em que os presbíteros (anciões), sejam consagrados para orar com imposição de mãos e ungir com óleo os enfermos, e não para ocupar cargos administrativos ou enfeitar os púlpitos dos templos. Alguém já disse que presbitério é para isso? Qual foi a última vez que nossos presbíteros visitaram o hospital ou um asilo?


A igreja que queremos é aquela em que os evangelistas levantam cedo vão a luta, visitando, pregando, informando, convidando, ou seja, evangelizando! Trazendo almas para o aprisco do Senhor. Hoje nós temos mais evangelistas pastoreando do que evangelizando, e ficamos preocupados com a estagnação! Qual foi a última vez que nossos evangelistas colocaram o pé no barro? Hora, a engrenagem tem que ser azeitada com o óleo puro, cada peça deve ocupar o seu lugar, ou a máquina não vai a lugar nenhum.

A igreja que queremos precisa de pastores nos altares! Como assim? Pastores, sim senhores! Com atributos pastorais. Quais? Em primeiro lugar amor, mas não este que anda por aí, que pode ser tudo, menos o amor cristão. O amor em pauta aqui é aquele da Bíblia. Lembram? “Ainda que eu falasse as línguas dos homens e dos anjos, e não tivesse amor, seria como o metal que soa ou como o címbalo que retine. E ainda que tivesse o dom de profecia, e conhecesse todos os mistérios e toda a ciência, e ainda que tivesse toda fé, de maneira tal que transportasse os montes, e não tivesse amor, nada seria. E ainda que distribuísse todos os meus bens para sustento dos pobres, e ainda que entregasse o meu corpo para ser queimado, e não tivesse amor, nada disso me aproveitaria. O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não se vangloria, não se ensoberbece, não se porta inconvenientemente, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não suspeita mal; não se regozija com a injustiça, mas se regozija com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba... (I Coríntios 13:1-8)

Outros atributos, por mais nobres que sejam, não terão maior importância que o amor, pois com ele a mensagem será de carinho, de aconchego, de passar óleo nas feridas, de ninar, de dar colo. Ser pastor é ir no meio dos espinhos buscar a ovelha perdida, é sofrer nos pés os calos dos pedregais, é usar o cajado com sinete para guiar e não para dar na cabeça das ovelhas. É pregar sorrindo no culto de domingo, mesmo sabendo que alguém se prepara para o beijo de Judas na segunda-feira.


Ser pastor é chorar sem se conformar com a igreja que temos, e lutar diuturnamente para a construção da igreja que queremos!
Pr. Ari Pinheiro

2 comentários:

Marilda Helena disse...

Amado pastor; Muito bem colocada sua mensagem; acredito irmão; que são muitos os cristãos q ora estão desviados; amargurados; insatisfeitos... por ñ terem encontrado a IGREJA esta mesmo que o senhor Pastor Ari; menciona como deveria ser.Essa é a igreja que amo!Ser pastor é chorar sem se conformar com a igreja que temos; e lutar diuturnamente para a construção da igreja que queremos! Lutemos prá termos essa IGREJA...Verdadeira noiva de Cristo!Poderia eu acrescentar milhares de mais frases; pra dizer da riqueza desses textos biblícos bem colocados e de um valor imensurável...Quem dera todos pudessem vir aqui e ler esses textos...o curso da Igreja mudaria com certeza!A palavra de DEUS é fiel e verdadeira...e qdo direcionada pelo Espiríto Santo de Deus trás VIDA!E está Vida é JESUS em nós! Agradeço `Deus Pastor pela renovação diária em vossa mente trazendo o Melhor de Deus pra nos como Corpo de CRISTO!Dios te bendiga siempre...És vaso de unção; de poder; vaso trabalhado nas mãos de Deus

Marilda Helena disse...

Amado pastor; Muito bem colocada sua mensagem; acredito irmão; que são muitos os cristãos q ora estão desviados; amargurados; insatisfeitos... por ñ terem encontrado a IGREJA esta mesmo que o senhor Pastor Ari; menciona como deveria ser.Essa é a igreja que amo!Ser pastor é chorar sem se conformar com a igreja que temos; e lutar diuturnamente para a construção da igreja que queremos! Lutemos prá termos essa IGREJA...Verdadeira noiva de Cristo!Poderia eu acrescentar milhares de mais frases; pra dizer da riqueza desses textos biblícos bem colocados e de um valor imensurável...Quem dera todos pudessem vir aqui e ler esses textos...o curso da Igreja mudaria com certeza!A palavra de DEUS é fiel e verdadeira...e qdo direcionada pelo Espiríto Santo de Deus trás VIDA!E está Vida é JESUS em nós! Agradeço `Deus Pastor pela renovação diária em vossa mente trazendo o Melhor de Deus pra nos como Corpo de CRISTO!Dios te bendiga siempre...És vaso de unção; de poder; vaso trabalhado nas mãos de Deus...