quarta-feira, 14 de abril de 2010

MAR DE SOLIDÃO (Ari Pinheiro,madrugada de 14.04.2010)

Eu poderia chorar muito esta noite
Que tenho todos os motivos do mundo
Para deixar rolar o pranto...
Mas estranhamente a madrugada
Blindou-me o vidro dos olhos...


Eu poderia causar uma enchente esta noite
Disso tenho ciência...
Que no açude do peito trago
Hectolitros de lágrimas
Represadas pela dor da tua ausência...


Ah, como eu queria levantar desta cama
E levar minhas pernas bambas
Pelas calçadas da tua rua... Se eu pudesse
Ser anjo e à tua cabeceira
Velar teu sono...
Ou se pudesse correr ao teu encontro
Como um cachorro que busca o dono...

 
Sim, eu poderia chorar muito esta noite...
Chorar tanto pranto
De causar inundação...
Mas o choro virou remanso
Nas curvas do rio coração
Para vir desaguar nos versos deste poema,
Inquieto mar de solidão....



2 comentários:

lery disse...

Muito lindo seu blog, diferente e necess´rio, suas postagens, porisso resolví segui-lo, se achar que o meu também é legal me siga tambem. Obrigada http://lery-blogdalery.blogspot.com

Ary Pinheiro disse...

Obrigado pelas palavras gentis, querida irmã!