sexta-feira, 31 de agosto de 2007

Provas do Genuíno Batismo no Espírito Santo

“E, dizendo Pedro ainda estas palavras, caiu o Espírito Santo sobre todos os que ouviam a palavra. E os fiéis que eram da circuncisão, todos quantos tinham vindo com Pedro, maravilharam-se de que o dom do Espírito Santo se derramasse também sobre os gentios.” At 10.44,45

As Escrituras ensinam que o crente deve examinar e provar tudo o que se apresenta como sendo da parte de Deus (1Ts 5.21; cf. 1Co 14.29). “Amados, não creiais em todo espírito, mas provai se os espíritos são de Deus” (1Jo 4.1). Seguem-se alguns princípios bíblicos para provar ou testar se é de Deus um caso declarado de batismo no Espírito Santo.

1. O autêntico batismo no Espírito Santo levará a pessoa a amar, exaltar e glorificar a Deus Pai e ao Senhor Jesus Cristo mais do que antes (ver Jo 6.13,14; At 2.11,36; 10.44-46).

2. O verdadeiro batismo no Espírito Santo aumentará a convicção da nossa filiação com o Pai celestial (1.4; Rm 8.15,16), levará a uma maior percepção da presença de Cristo em nossa vida diária (Jo 14.16, 23; 15.26) e aumentará o clamor da alma “Aba, Pai”! (Rm 8.15; Gl 4.6). Por sua vez, um batismo no Espírito Santo que não leva a uma maior comunhão com Cristo e a uma mais intensa comunhão com Deus como nosso Pai não vem dEle.

3. O real batismo no Espírito Santo aumentará nosso amor e apreço pelas Escrituras. O Espírito da verdade (Jo 14.17), que inspirou as Escrituras (2Tm 3.16; 2Pe 1.20,21), aprofundará nosso amor à verdade da Palavra de Deus (Jo 16.13; At 2.42; 3.22; 1Jo 4.6). Por outro lado, qualquer suposto batismo no Espírito que diminui nosso interesse em ler a Palavra de Deus e cumpri-la, não provém de Deus.

4. O real batismo no Espírito Santo aprofundará nosso amor pelos demais seguidores de Cristo e a nossa preocupação pelo seu bem-estar (2.38, 44-46; 4.32-35). A comunhão e fraternidade cristãs, de que nos fala a Bíblia, somente podem existir através do Espírito (2Co 13.13).

5. O genuíno batismo no Espírito Santo deve ser precedido de abandono do pecado e de completa obediência a Cristo (2.38). Ele será conservado quando continuamos na santificação do Espírito Santo (2.40; 2Ts 2.13; Rm 8.13; Gl 5.16,17). Daí, qualquer suposto batismo, em que a pessoa não foi liberta do pecado, continuando a viver segundo a vontade da carne, não pode ser atribuído ao Espírito Santo (2.40; 8.18-21; Rm 8.2-9). Qualquer poder sobrenatural manifesto em tal pessoa trata-se de atividade enganadora de Satanás (cf. Sl 5.4,5).

6. O real batismo no Espírito Santo fará aumentar o nosso repúdio às diversões pecaminosas e prazeres ímpios deste mundo, refreando-nos a busca egoísta de riquezas e honrarias terrenas (20.33; 1Co 2.12; Rm 12.16; Pv 11.28).

7. O genuíno batismo no Espírito Santo nos trará mais desejo e poder para testemunhar da obra redentora do Senhor Jesus Cristo (ver Lc 4.18; At 1.8; 2.38-41; 4.8-20; Rm 9.1-3; 10.1). Inversamente, qualquer suposto batismo no Espírito que não resulte num desejo mais intenso de ver os outros salvos por Cristo, não provém de Deus.

8. O genuíno batismo no Espírito Santo deve despertar em nós o desejo de uma maior operação sua no reino de Deus, e também uma maior operação de seus dons em nossa vida. As línguas como evidência inicial do batismo devem motivar o crente a permanecer na esfera dos dons espirituais (2.4, 11, 43; 4.30; 5.12-16; 6.8; 8.7; Gl 3.5.

9. O autêntico batismo no Espírito Santo tornará mais real a obra, a direção e a presença do Espírito Santo em nossa vida diária. Depois de batizados no Espírito Santo, os crentes de Atos tornaram-se mais cônscios da presença, poder e direção do Espírito Santo (4.31; 6.5; 9.31; 10.19; 13.2, 4, 52; 15.28; 16.6,7; 20.23). Inversamente, qualquer suposto batismo no Espírito Santo que não aumentar a nossa consciência da presença do Espírito Santo, nem aumentar o nosso desejo de obedecer à sua orientação, nem reafirmar o nosso alvo de viver diante dEle de tal maneira a não entristecê-lo nem suprimir o seu fervor, não provém de Deus.
Pesquisa: Pr Ari Pinheiro

quinta-feira, 30 de agosto de 2007

­Vinhos nos tempos do novo testamento!!!!

No AT bebidas fermentadas nunca deviam ser usadas na casa de Deus e um sacerdote não podia chegar se a Deus em adoração se tomasse bebida embriagante(Lv.10*9)Jesus cristo foi sumo sacerdote de Deus no novo concerto (Hb-3.1**5.1.10) O FERMENTO NO ANTIGO TESTAMENTO ERA CORRUPÇÃO E TOMAR VINHO COM FERMENTO ABSORVIA ESTAS CORUPÇÃO. NO TOCANTE A ISSO as escrituras afirmam que o corpo e o sangue de Jesus não experimentou corrupção (sl 16.10 At2.27**13.37) vinho grego(oinos) quando Zacarias estava perante o senhor a bíblia diz que foi sorteado no turno sacerdotal os sacerdotes eram sorteados neste período não podiam se achegar ao vinho (hb=yayin) termo genérico usado 141 vezes no at que significa bebida fermentada com álcool!!!!!! E o sacerdote só podia se achegar ao vinho no período que não estava ministrando ou seja no seu turno sacerdotal a bíblia diz que somos sacerdotes eternos (1pe 1.9) ou seja não há tempo de nos achegarmos ao vinho pois somos templo de Deus e temos que no encher do ESPIRITO e não do vinho!!(Ef(5.18) e PV 23 .30 AO 32)!
21/08/2006 07:21
Vinho, hoje em dia, é invariavelmente entendido a ser uma bebida alcoólica. Muitas pessoas pensam, automaticamente, que qualquer "vinho" mencionado na Bíblia tinha um conteúdo significativo de álcool. Mas, isso não é verdade.

"Vinho" na Bíblia é o produto da uva. Freqüentemente se refere a uma bebida alcoólica semelhante a tais bebidas hoje. Em tais casos, o vinho é descrito como causador de muito sofrimento, e como algo que conduz homens a cometer diversos pecados vergonhosos. Deus claramente proibe o uso de tal vinho, e dá bons motivos para não bebê-lo. O uso de bebida forte pelos sacerdotes ativos no tabernáculo foi proibido, pois eles precisavam discernir entre o certo e o errado, e tinham a responsabilidade de ensinar a palavra de Deus ao povo (Levítico 10:8-11). Sacerdotes de hoje (cristãos ¬ 1 Pedro 2:5) têm o mesmo motivo para abster-se totalmente de bebidas alcoólicas, exceto nos permitidos usos medicinais (1 Timóteo 5:23). Não era para reis beberem, porque precisavam usar bom
senso e juízo (Provérbios 31:4-5). A justiça continua sendo um aspecto importante da vida de cada servo fiel ao Senhor (Filipenses 4:8). O uso de bebidas alcoólicas é geralmente condenado na Bíblia (Provérbios 20:1; 23:29-35; Gálatas 5:21; 1 Pedro 4:3; 1 Coríntios 5:11; etc.).

Mas, a palavra "vinho" é também usada na Bíblia para descrever o produto não fermentado da uva, o que nós chamamos suco de uva. Pode ver isso em casos onde as mães o deram aos bebês (Lamentações 2:11-12) e onde é considerado uma bênção de Deus (por exemplo, Oséias 2:8-9). Usando a palavra "vinho" em dois sentidos, Jesus diz em Marcos 2:22 que vinho novo rompia odres velhos (já esticados e endurecidos). A expansão de fermentação natural estourava os odres velhos.

Da mesma maneira que nossa palavra "bebida" tem que ser entendida no contexto (poderia ser água, refrigerante, suco, cerveja ou vodca, dependendo do contexto), o sentido de "vinho" nas Escrituras tem que ser determinado pelo contexto.

Compreendendo esse fato, isso o ajudará a entender o primeiro!

Mãe – Universo num verso


Mãe – Universo num verso
Pr Ari Pinheiro

Mãe!
Universo num verso
Que brota da alma
Que a palma mais verde
Não pinta a esperança
De um verde tão verde
Que ao vento balança
Dançando em olhares
Entre a mãe e a criança...

Nenhum cordão
De ouro ou de prata
De qualquer quilate
Esmeralda ou diamante
É rico o bastante
Ou de importância tal
Para substituir
O umbilical
Que ao partir-se traz luz
Um santo renovo
Um sorriso na boca
Da alma do povo...


Estrada de luz que
Brota do ventre
Canteiro e semente
Barco e guarida
Mãe é verbo supremo
Num substantivo
Celestial lenitivo
Lavoura da vida
Onde Deus restaurou
A humanidade perdida!

Estranho




Estranho
Pr Ari Pinheiro

Estranho como gostamos
de juntar tralhas...
Tranqueiras que só
Atrapalham...

Estranho como gastamos
nosso dinheiro suado
naquilo que não é pão...
Como deixamos coisas boas
Escorregarem
das palmas de nossas mãos...

Estranho como é mais fácil
pagar propina que dar o dízimo...
Como é mais fácil
queimar dinheiro em fogos de artifício
que ajudar uma entidade carente...

Estranho como é fácil dizer “eu te amo”
e como é difícil tornar isso realidade...

Estranho ver bilhões de páginas
versando sobre o amor e ver o homem
cada vez mais desumanizado...

É realmente muito estranho que seja
tão fácil escrever sobre o amor, e seja tão
difícil alcançá-lo,
tocá-lo, vivê-lo em plenitude...

E o mais estranho é que pouca
gente estranha isso,
apesar de todo o mal que produz!!!